28 de jun de 2017

Igual idosos...



Ah como foi bom sorrir ao te ver naquela cadeira de balanço, ver sua insegurança, sua instabilidade, suas emoções confundindo-se em meio a risos e palavras, seu olhar envergonhado e totalmente estagnado me olhando te admirar.

Foi lindo e mágico e diferente e surpreendente e infantil da minha parte, mas nunca imaginei que seria assim o nosso primeiro encontro, como dois idosos sentados no quintal conversando sobre inutilidades numa cadeira de balanço.

E por mais que eu queira que seja assim nosso futuro, não posso deixar de levar em conta que por você seriamos dois idosos um pro outro, pra cuidar, pra estar perto, pra amar mesmo com todas as nossas diferenças. Seríamos velhos ranzinzas e chatos e ciumentos e felizes com nossos filhos, lembrando das coisas engraçadas e contando aos nossos netos.

Ah, eu não me esqueço de como te olhava sentado naquela cadeira de balanço... como dois idosos no quintal olhando sem enxergar nada ao redor, mas vendo nosso futuro.


Nenhum comentário: