2 de jan de 2011

Feliz Ano Novo... Feliz Vida Velha!!!

JAZ AQUI, VALENTE 2010, BRAVO ANO DE GRANDES CONQUISTAS. DEU TREZENTOS E SESSENTA E CINCO DIAS DE VIDA E DESFALECEU DEIXANDO 2011 ENCARREGADO DE CUMPRIR ALGUMAS TAREFAS, DENTRE ELAS, A PRINCIPAL É MELHORAR O MUNDO... DESCANSE EM PAZ, FICA CONOSCO A LEMBRANÇA E A SAUDADE!

Primeiro de janeiro de dois mil e onze, vinte e três horas e quarenta e sete minutos. Estou eu na sala da casa velha e vazia, pensando e olhando para o nada que enxergo na tela apagada. A TV não me chama a atenção necessária, ela está desligada, mas ainda assim olho na direção dela tentando encontrar algo que me distraia da minha vida.
Aqui, vivi momentos agradáveis e ao mesmo tempo chorei por inúmeras coisas que me fizeram sentir dor. Aqui, pensei e repensei minha vida e entrei num martírio infindável também. Aqui, encontrei portas e janelas abertas para o meu mundo de idéias e fantasias, foi aqui, nesta sala velha, neste sofá rasgado, que jurei não mais deixar o tempo passar vago, e é aqui o antro da minha escrita e inspiração.
Os quatro cantos são distantes, mas me apertam. Não sou do tamanho que todos vêem, sou do tamanho do que acredito por isso não consigo caber em espaço limitado por paredes. É aqui que penso em tudo o que eu gostaria de escrever e fazer e dizer e ser, é aqui e só aqui que encontro a inspiração que me falta para alcançar a sétima nota, o sétimo parágrafo, a sétima alegria, mas nunca o sétimo céu!
Pensei em várias mensagens para o próximo ano, frases que inspirassem alegria, determinação, confiança, garra, otimismo, felicidade e amor, mas em todas elas encontrei um vazio gigante de sentimento. Não aprendi a expor o sentimento em palavras, ainda me restrinjo, minha escrita é primária, minha poesia é rasgada, meu caderno é velho como a dor que vive no meu peito, apertando e fazendo doer a alma.
Eu tentei desejar tudo de mais precioso que uma pessoa possa ter, mas entendi que por mais que eu deseje nada vai acontecer se a pessoa ficar parada esperando tudo cair do céu.
Os momentos ficaram, 2010 foi enterrado, e com ele, todo o emaranhado de situações agora jaz.
Fiz uma lista de inutilidades como objetivos para 2011. Se conseguir alcançar metade dela, será de grande valia. Dentre todas as coisas, o que eu mais queria era conseguir seguir os conselhos que saio distribuindo para tanta gente.
Chegou 2011, chegou o ano que todos esperavam. Com ele, renovam-se todas as esperanças velhas, e tudo volta a ser como antes. É o que eu nunca entendo, porque as pessoas criam tantas expectativas para o próximo ano e não mudam de atitude para que realmente tudo seja diferente? Porque as pessoas esperam tanto de um ano se sabem que ele só vai mudar se for feito algo para mudar?
Com a chegada do novo ano renovei minha página de escritas, renovei meu figurino, meus gostos. Vou renovar apenas o que eu quiser, porque tudo só se renova a partir das nossas escolhas, a partir de uma busca do eu interior para realmente encontrarmos o que queremos que seja diferente.
Novo mesmo só o número do ano. Nem as expectativas são novas, a gente recicla tudo, até a esperança.


Feliz Ano Novo. Feliz Mesma Escolha. Feliz Vida Velha!

Nenhum comentário: